Trocar carro: Será que a vida útil do seu veículo chegou ao limite?

Trocar carro Será que a vida útil do seu veículo chegou ao limite

O simples uso do automóvel promove o desgaste de diversos componentes, o que leva a que a determinada altura tenhamos, inevitavelmente, de trocar de carro.

Mas tal não acontece da noite para o dia. Este processo envolve tempo e a recorrente utilização do veículo.

E para que tudo funcione corretamente, é necessário ter atenção à vida útil do automóvel.

Fatores que deve avaliar para trocar de carro

Cada fabricante estabelece uma duração para os seus veículos, com base nos seus componentes e num coeficiente de segurança particularmente determinado pela engenharia do produto.

A tecnologia produz peças cada vez mais confiáveis e de maior duração, no entanto nada é infalível.

Por isso, vamos apresentar-lhe alguns fatores que deve considerar no momento de trocar carro. Conheça-os!

Quilometragem

Este é um dos principais pontos que deve ter em consideração se quer trocar de carro.
Se a quilometragem estiver com números altos significa que o automóvel já foi muito utilizado e, por isso, está desgastado.

Por exemplo, se o seu carro já percorreu 200 mil quilómetros, é normal que exista um desgaste natural dos seus componentes, como a embraiagem e a suspenção, exigindo assim uma manutenção frequente.

Contudo, vale a pena lembrar que, mesmo um veículo com muito uso, pode estar num bom estado de conservação. Isto se o condutor tiver alguns cuidados de prevenção, como a troca dos filtros de óleo e a realização das revisões periódicas ao automóvel.

Condições dos componentes do veículo

Sabia que os componentes dos carros, feitos de borracha e plástico, possuem uma vida útil de, aproximadamente, 5 anos? É verdade!

Após esse período estes começam a apresentar desgastes naturais que podem mesmo comprometer outras peças do veículo, como por exemplo a mangueira, levando ao mau funcionamento do motor.

Por isso, é imprescindível avaliar as condições dos componentes do carro, pois estes podem dar sinais de que precisa de trocar o veículo.

Estado de conservação do motor

Caso não seja um condutor cuidadoso, que não realiza a troca periódica de água, aditivo e óleo, o motor do seu carro vai sentir o impacto do uso com o tempo.

O motor é o coração do veículo, e mesmo não apresentando sinais de desgaste pode o seu funcionamento ficar comprometido. Isto levará a gastos extras com oficinas mecânicas, para que possa ter o motor novamente em bom estado e voltar a conduzir normalmente.

Não sabe como detetar quais os principais problemas com o motor? É simples! Repare se o seu carro apresenta sobreaquecimento e perda de água do radiador. Estes sinais podem ser um grande indício.

Fique atento e não espere que o motor avarie para tomar a decisão de trocar o carro.

Desvalorização do automóvel

Outra questão importante é a desvalorização natural do veículo, devido a vários fatores como o ano de fabrico, o desgaste, os novos lançamentos, entre outros.

Por isso, é necessário que o condutor fique atento ao que acontece no mercado automóvel. Por exemplo, a saída de uma linha ou uma mudança no modelo de um veículo são motivos suficientes para que haja uma desvalorização.

Por isso, se perceber que o valor do seu automóvel sofreu uma queda, não espere mais e coloque-o à venda. Assim, não perderá mais valor de mercado.

Por mais que um veículo pareça novo, este começa a desvalorizar no momento em que sai do concessionário. A depreciação é um fator crucial para determinar a vida útil do veículo.

O desgaste dos automóveis depende diretamente da forma como estes são utilizados. Por isso, tenha sempre em mente que a forma como conduz e trata o veículo impactará diretamente na vida útil deste.

Evite conduzir a alta velocidade em estradas com muitos buracos, uma vez que isso acarreta alguns danos para o seu carro.

Não exija demasiado do motor, para lá do que pode ser suportado. Com o tempo, o esforço prologado prejudicará o pleno funcionamento do veículo.

Outra dica é procurar sempre parar o automóvel em garagens e locais protegidos, evitando desgaste por exposição prolongada ao sol, por exemplo, além de possíveis riscos e batidas.

Agora que já conhece os principais fatores que deve considerar para trocar o carro, está na hora de avaliar as condições do seu veículo.

E não se esqueça dos cuidados preventivos. Estes vão ajudá-lo a manter as boas condições do seu carro.