Conheça as situações para uso correto das luzes de emergência

Conheça as situações para uso correto das luzes de emergência

Estacionar o carro num local proibido e ligar as luzes de emergência, afinal vai ser “só um minuto”. Acho que todos nos identificamos com esta situação, não é verdade?

Mas saiba que este minutinho pode sair caro ao cometer uma infração. Afinal, são pequenos deslizes como este que podem tirar pontos à carta e aproximá-lo da perda do documento.

Para que não tenha dores de cabeça, explicamos tudo o que precisa saber para usar corretamente os quatro piscas!

Luzes de emergência: Saiba o que diz o Código da Estrada

As luzes de emergência, que são vulgarmente conhecidas como “quatro piscas”, são muitas vezes utilizadas de maneira errada e até abusiva.

O Código de Estrada dispõe, no artigo 63, em que situações deve utilizar esta sinalização de emergência. Conheça-as detalhadamente de seguida.

1 – Sinalizar o veículo que pode representar perigo

Imagine que está a conduzir à noite e o seu veículo tem um problema e fica na via de circulação. Quando não é possível removê-lo para um local mais seguro, deverá ligar as luzes de emergência.

E não é somente à noite, mas em qualquer momento que alguma situação semelhante aconteça. Os quatro piscas ajudam a sinalizar o veículo parado na via e evitam acidentes que podem ter consequências trágicas.

2 – Súbita redução da velocidade

Esta é uma ocorrência especialmente importante e essencial para usar os quatro piscas. Numa súbita redução de velocidade, por engarrafamento ou situações meteorológicas, estas luzes evitam colisões em cadeia.

Inclusive, alguns veículos já são preparados para ligar estas luzes de maneira automática quando a travagem ultrapassa uma determinada desaceleração. Ou seja, quando a travagem é muito forte e repentina.

3 – Reboque do veículo

Independentemente do motivo, sempre que um veículo esteja a ser rebocado, as luzes de emergência devem estar ligadas. Isto é importante para avisar os outros condutores sobre uma potencial situação de perigo.

Nestes casos, a velocidade de circulação é menor e a sinalização ajuda a impedir eventuais colisões.

4 – Perigo especial

O Código de Estrada não especifica quais são as situações que representam “perigo especial”.

Contudo, a particularidade generalista da lei permite incluir no rol de possibilidades quaisquer ocorrências que possam colocar em risco o condutor do próprio veículo, bem como os outros.

Mas lembre-se, parar em local proibido ou facilitar uma ultrapassagem não fazem parte da categoria de “perigo especial” para o uso dos quatro piscas.

5 – Avaria de outras luzes

Outra situação listada no Código da Estrada é o uso das luzes de emergências caso as outras estejam avariadas. Por exemplo, se está a conduzir numa estrada com forte nevoeiro e os faróis de nevoeiro não estão a funcionar, deve ligar os quatro piscas.

De facto, é pouco provável que todas as luzes do veículo parem de funcionar, menos os quatro piscas. Mas, para evitar este tipo de situação, que pode até mesmo causar confusão no trânsito, o ideal é fazer a manutenção regular de todas as luzes do carro.

Dito isto, é importante que conheça o artigo 50 do Código da Estrada, em especial o ponto 1b).

  • – É proibido o estacionamento:
  1. b) Nas faixas de rodagem, em segunda fila, e em todos os lugares em que impeça o acesso a veículos devidamente estacionados, a saída destes ou a ocupação de lugares vagos.

Portanto, lembre-se, de nada vai adiantar ter estas luzes ligadas caso esteja a cometer uma infração. Pelo contrário, só estará a evidenciar o ato infracional, podendo resultar numa coima entre 60 a 300 euros.

Agora que sabe em que situações deve utilizar as luzes de emergência, não há desculpas para conduzir de forma irresponsável. Colabore para um trânsito mais seguro!